terça-feira, maio 30, 2006

do que não deveria acontecer

ali,
entre petalas engolidas, quando, na verdade, deveriam estar voando-se.
entre perfumes inacabados, guardados à meia luz, que perdiam o poder libertar-se e encontrar-se no escancarar da vida.

e o que restou:

'amanha, às quatro, te encontro às cinco'.

*nian.pissolati.

3 comentários:

maricota de jesus disse...

e pensar que tudo isso saiu de um recado nada a ver da turcheti.

meu namorado é poeta.

e isso é bonito, daquelas bunitezas que dá vontade de botar no colo e ir comprar meias coloridas para os sapatos novos.

pequeno pedaço de momento infinito.

maisoumenandonadismos disse...

Bonito demais, cara. E a saudade? Nusga.
Respira ai, texto, que la vem outro. Dos ruins.


Lucas

desafinadamente disse...

chegou às cinco?