terça-feira, outubro 24, 2006

vinte e dois do dez

- ...
- ...
- oi.
- ...
- sem palavras?
- você é inacreditável. não é possível que você foi capaz de fazer isso.
- sabe qual o problema? desde o começo sempre foi tudo verdade..
- ,,, é, infelizmente você tem razão, é realmente tudo mentira.
- mas são muitas verdades. e eu me perdi nessas mentiras.
- não me venha com desculpas tão rasas.
- mas essa é mais uma dessas mentiras. minhas verdades...
- quais?! você não conhece nenhuma.
- e é exatamente por isso que eu não estava aqui.
- mas você não tinha esse direito.
- eu sei.
- foram algumas tantas ligações. eu só precisava de um oi.
- mas e se ele fosse falso?
- a verdade de sua falsidade me bastaria.
- mas seria muito pouco.
- não me venha com essas pequenezas dos vinte anos. eu não tenho tempo para tanta futilidade.
- futilidade? então eu não entendo mais nada.
- lá vem você mais uma vez. olha, pra começo de conversa, seus vinte anos não são eternos. e não adianta você se fazer de desentendido.
- ...
- era só um oi.
- oi...
- e suas preocupações? elas existem?
- incontáveis...
- mesmo as que importam?
- claro!
- e ainda assim você não foi capaz de dizer um oi.
- o problema é que desde o princípio, foi tudo mentira.
- será? Nestes poucos dias, o que você me provou foi uma série de sustentações em verdades inventadas, que no fundo, você não tem nem idéia do que sejam.
- já, disse, desde o começo foi tudo verdade. tenho certeza.
- não acredito em suas mentiras.
- e há algo que eu possa fazer?
- essa eu me recuso a responder.
- vinte anos?
- vinte anos.
- não era para ser tão triste. foram poucos dias. eu ainda poderia...
- erros grandes não têm tempo.
- me desculpa...
- ...
- ...
- talvez alguns anos de mentiras te façam bem...
- meu medo é que essas mentiras me façam mal. não quero acreditar em tantas verdades...
- seu erro é temer o mal...
- e se depois desses anos eu descobrir que realmente é tudo mentira?
- não se preocupe. é tudo verdade.
- verdade?
- mentira.

*nian.pissolati

6 comentários:

Anônimo disse...

O R. só fala verdade, mentira?
Brilho!

Lucas

Anônimo disse...

Vinte e quatro do dez

- não se preocupe, sentimentos não se desculpam... e gosto de você...
- foi o que alguem disse depois...


Palíndroma

Priscila Basile disse...

Gosto de diálogos, muito!

Ainda mais destes, subjetivos. Imagino Jung o que acharia deste texto!

Muito bom!

desafinadamente disse...

é tudo verdade.

(mentira)

dou risada de um grande amor.

(mentira)

estou feliz.

(mentira)

Anônimo disse...

Só pra dizer Oi...

Anônimo disse...

oi